terça-feira, 26 de julho de 2011

Nerdisse

É a segunda vez que escrevo sobre a mania que as pessoas têm de me acharem com cara de nerd. Eu não entendo muito bem, está certo que leio mais do que a maioria das pessoas, e sim, eu sito coisas que li em livros. Mas na verdade é a primeira vez na minha vida que estou baixando a cabeça para estudar de verdade, talvez por isso que esteja sendo tão difícil para mim.

Desde a escola que eu tenho fama de NERD, CDF, e coisas do gênero. Engraçado como o fato de “diga-me com quem andas que eu te direi quem és” funciona, eu não sou estudiosa, mas sempre andei com os estudiosos. Também já tive as minhas más influências, sempre fui amiga dos guris, e daqueles que gostavam de tirar a nota mínima possível para passar, ou que nem a isso chegavam. Poor little Paula. Aos oito anos me “ensinaram” a colar, como? Simples, coloque o seu livro aberto debaixo da classe e, quando a professora não estiver olhando, dê uma lida ali. Resultado: a Frau Pereira, professora de Alemão, me pegou colando na segunda série, tive vontade de chorar. Depois disso, acho que só voltei a colar no ensino médio, fiquei traumatizada, admito. Mas não acho que tenha colado de verdade, no máximo foi uma troca de informações com o colega da frente ou de trás ou formulas de matemática escritas na mesa.. Nada muito grave.

Eu acho que daria uma boa personagem de livro, essas que sempre se ferram mas que no final tudo da certo. Assim, eu sempre passava de ano, mesmo marcando hora nas provas de recuperação e levando sempre a fama comigo, nerd, estudiosa. Eu diria sortuda e sempre dava uma enrolada legal ao responder uma questão com “Justifique sua resposta” no final. Sempre recebia um meio certo.

Nunca vou esquecer de quando tirei primeiro lugar na olimpíada de matemática, que orgulho! Ou sorte. Na verdade a prova era pura lógica e nisso eu admito ser boa. Lá eu aprendi a palavra genoma, foi realmente divertido. O premio? Um livro de matemática, afinal, o que mais um aluno do primeiro ano pode querer? Chocolates? Dinheiro? Capaz!! Mas era, de fato, um livro que eu gostaria de ainda ter, vou até dar uma olhada nas lojas de livros usados, talvez o ache.

Mas nerd, não, isso não. 

Um comentário:

  1. Paula


    Divulgo o Ver de Vida, dedicado à causa ambiental.

    Sou um Biólogo e Professor mineiro.

    Felicidade em sua jornada.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget